Pré-candidato ao governo, Zé Ronaldo mira em evangélicos

Pré-candidato ao governo, Zé Ronaldo mira em evangélicos

A chapa do pré-candidato do DEM, José Ronaldo, continua indefinida e sem previsão para ser fechada. Por enquanto, apenas o nome dele e o do deputado federal Jutahy Magalhães Jr. (PSDB) estão confirmados na majoritária – o primeiro na corrida ao Palácio de Ondina e o segundo, à senatoria. Resta saber agora quem será o vice e quem ficará com a segunda vaga à Câmara Alta. Segundo fontes da Tribuna, os tucanos não devem mais ocupar a posição de vice dos democratas. O deputado federal João Gualberto (PSDB) já anunciou que vai tentar a reeleição. Imbassahy (PSDB) não sabe o que quer, mas deve ir para a reeleição também. Ronaldo, então, vai ter de acomodar o ávido PRB (prometido na majoritária carlista desde a última eleição municipal, em Salvador) e o PSC.
O nome mais forte especulado até agora é o do deputado federal Irmão Lázaro (PSC), que dá sinais de que não quer abrir mão do páreo (cogita, inclusive, lançar uma candidatura avulsa). Nos últimos dias, inclusive, circulou a informação de que ele poderia ser vice na campanha de oposição ao governador Rui Costa (PT). A ideia serviria para dar peso ao candidato junto ao eleitorado evangélico. Entretanto, a possibilidade foi descartada pelo pré-candidato. Na última segunda-feira, Imbassahy (PSDB) defendeu abertamente que o colega de Câmara fique com o posto de vice ou seja candidato ao Senado. Os coordenadores da campanha de Zé Ronaldo, no entanto, descartam a ideia. A questão é que ele está procurando um nome conhecido na capital baiana para se viabilizar, uma vez que a maior parte do eleitorado dele está concentrado em Feira de Santana.  Lázaro, por sua vez, quer continuar dando expediente em Brasília.
Para afagar o PRB, o nome mais forte até agora é o da vereadora de Salvador, Ireuda Silva. Ela poderia ser alçada a vice e Irmão Lázaro ficar com o Senado, apesar da resistência de Jutahy Magalhães Júnior (PSDB) em ter o músico na disputa por uma cadeira na Câmara Alta. Nos bastidores, comenta-se que o tucano não gostaria de ter o evangélico com receio de perder votos. Em recente entrevista à Tribuna, Ireuda confirmou que foi “convidada” para conversar e que a decisão está nas mãos do partido. Ela declarou ainda que tem consideração por todos os candidatos e que não há nenhuma definição sobre o futuro político. Zé Ronaldo, também indagado pelo jornal sobre Lázaro e Ireuda, disse que nada foi definido e que as teorias não passam de especulação da imprensa. Aguardemos.
Fonte: Tribuna da Bahia
Notícias Política