Castramóvel atende no Estacionamento São Raimundo até fim do mês

Castramóvel atende no Estacionamento São Raimundo até fim do mês

04_10_2016_castramovel_barris_foto_tiago-barros_agecom-1A vigilante Rosileide Áurea dos Reis trabalhou durante toda a madrugada e nem descansou antes de levar seu cachorro “Menino”, um pinscher de quase três anos, para passar pela triagem preparatória no Castramóvel. A unidade itinerante pertence ao Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), órgão vinculado à Secretaria Municipal da Saúde (SMS), e atenderá até o fim do mês no Estacionamento São Raimundo, no Vale dos Barris.
“Resolvi logo trazê-lo. É muito bom esse serviço. Mês passado perdi uma cadela de 12 anos, que morreu no pós-operatório, depois de ter inflamação no útero. Creio que se ela tivesse sido castrada a doença poderia ser evitada”, lamentou Rosileide, enquanto aguardava o atendimento para seu cãozinho. De fato, a doença poderia ter sido evitada, uma vez que a castração mantém a saúde dos animais de estimação em dia, reduzindo completamente o risco de tumores e outras doenças reprodutivas.
Para quem quer economizar no pagamento de cirurgia de esterilização animal, levar o cão ou o gato para o atendimento no Castramóvel é uma boa oportunidade. Clínicas veterinárias com preços acessíveis em Salvador costumam cobrar entre R$ 80 e R$ 150 pela operação de esterilização. A recepcionista Jéssica Araújo levou sua vira-lata Lara, de 2 anos e 6 meses, e comemorou o fato de não ter de gastar dinheiro. “Isso é ótimo. Teria de pagar para castrar, mas com esse serviço eu vou é poupar”.
Procedimento – Durante todas as segundas e terças-feiras do mês, o bicho de estimação que for levado ao Castramóvel passará por cadastramento e triagem – procedimento que avaliará se o animal está totalmente saudável para passar pela cirurgia. Depois disso, o bichinho é encaminhado para o procedimento de castração, que ocorrerá às quartas, quintas e sextas-feiras. Todos os atendimentos acontecem sempre de 8h às 12h, e, diariamente, são distribuídas 100 fichas para o atendimento.
O animal deve ter de seis meses a cinco anos de idade. O responsável pelo bicho deve comparecer à unidade itinerante munido de cartão do SUS, documento com foto e cartão de vacina antirrábica do cão e/ou gato a ser castrado. É imprescindível que o cartão esteja atualizado, com a vacina aplicada há menos de um ano.
Os bichinhos só poderão ser castrados 10 dias após a aplicação da vacina antirrábica. Não poderão passar pelo procedimento cirúrgico os animais que estiverem doentes, com infestação de pulgas ou carrapatos, fêmeas no cio ou gestantes.
Notícias